Um pouquim da net
Plebiscito pela Constituinte - Uma sinuca de bico?


O que é sinuca de bico?


É uma situação em que a pessoa se encontra sem saída.

É uma analogia ao jogo de sinuca, quando a bola da vez, a que deve ser encaçapada, está protegida atrás de outras bolas.

Assim, o jogador fica impedido de acertá-la no ângulo desejado.

Pior ainda, praticamente qualquer jogada que ele faça, encaçapará uma das bolas erradas.

Nesse momento, o jogador perderá o direito à tacada ou seu oponente receberá pontos.

Então, cadê a saída? 


O que é plebiscito?

Um plebiscito é uma consulta na qual as pessoas votam para aprovar ou não uma questão.

Uma regra importante: de acordo com as leis brasileiras apenas o congresso nacional pode convocar um plebiscito.
image

O Sol parece mover-se contra o fundo estrela como visto da Terra em órbita.

O que é plebiscito popular?

Desde o ano 2000, os movimentos sociais brasileiros começaram a organizar plebiscitos populares sobre vários temas, em que qualquer pessoa, independente do sexo, da idade ou da religião, pode trabalhar para que ele seja realizado, organizando grupos aonde quer que seja - em seus bairros, escolas, universidades, igrejas, sindicatos - para perguntar como a população se posiciona sobre um determinado tema e coletar votos.

Assim, um plebiscito popular permite que milhões de brasileiros expressem a sua vontade política e possam pressionar os poderes públicos a seguir a vontade da maioria do povo.

Protestos no Brasil em 2013-2014 

ABr17062013JFC2558.jpg
Manifestantes no teto do Congresso Nacional,
protestando contra gastos na Copa, corrupção
e por melhorias no transporte, na saúde e educação, em 17 de junho.


O que é uma constituinte?

É a realização de uma assembleia de deputados eleitos pelo povo para modificar a economia e a política do país e definir as regras e o funcionamento das instituições do Estado, tais como o congresso e o governo.

A atual constituição foi feita pela assembleia nacional constituinte de 1987, que foi instalada no congresso nacional, para elaborar uma constituição democrática para o Brasil, após 21 anos sob regime militar.

Na época prevaleceu a tese do congresso constituinte, ou seja, os deputados federais e senadores recém eleitos, em novembro de 1986, acumularam as funções de congressistas e de constituintes.


O que é uma constituinte exclusiva?

É uma Assembleia formada por representantes escolhidos com a finalidade de tratar de um assunto. Assim, é composta por não-políticos, principalmente por professores universitários, entendedores de política, cientistas políticos, professores de direito constitucional, que representam a Nação. Não deve precisar de partidos políticos e todos podem concorrer. O número dos candidatos eleitos deve ser rigorosamente igual ao número de parlamentares que hoje representam os diversos estados.

Suas decisões resultam em mudanças na constituição, nos pontos relacionados ao assunto tratado. Ou seja, se transformam na nova lei.

Finalmente, quando termina seu trabalho, a constituinte exclusiva é dissolvida.

A insatisfação social ocasionou a diversificação das causas dos manifestantes para além das tarifas de ônibus. Na foto, protesto ocorrido na cidade do Recife, em Pernambuco.


Porque fazer uma constituinte exclusiva e soberana do sistema político?

Recentemente os brasileiros foram às ruas, primeiramente contra o aumento das tarifas de transporte, mas, rapidamente, a luta por mais direitos sociais eclodiu: pedimos mais saúde, mais educação, mais democracia.

Os cartazes, faixas e rostos pintados também diziam que a política e os políticos atuais não representam os brasileiros.

Algumas conquistas foram conseguidas, principalmente com as revogações dos aumentos das tarifas dos transportes ou sua diminuição em algumas cidades, mas a maioria das reivindicações não foi atendida pelos poderes públicos.

E por que não?

Porque a estrutura do poder político no Brasil e suas “regras de funcionamento” não deixam que prossigamos as mudanças.

Toda a estrutura político-econômica é montada para que tudo fique como está. Ou seja, para que o dinheiro dos brasileiros continue a ser usado para manter os pobres mais pobres e sem oportunidades. E os ricos, mais ricos e com todas as possibilidades de terem seus projetos e planos aprovados, evidentemente usando dinheiro público.

Existe uma complexa teia usada nas campanhas eleitorais que praticamente garantem a vitória de determinados candidatos, que, após eleitos, vão defender apenas as empresas e não as pessoas.


E qual é a origem do dinheiro usado nas campanhas?

A cada dois anos temos eleições em que candidatos eleitos têm um gasto de campanha muito maior que os não eleitos, demonstrando que a riqueza da campanha decide quem vai ser eleito.

A maior parte do dinheiro vem de empresas privadas, que financiam os candidatos para depois obter vantagens nas decisões políticas.

Aqui é importante lembrar que
"Em política, não há doação. Empresário faz investimento."

 
É importante notar que ao examinarmos a composição do nosso Congresso Nacional, notamos que os deputados e senadores de fato não nos representam:

- mais de 70% dos congressistas são fazendeiros e empresários (da educação, da saúde, industriais, etc), mas a população é composta por maioria de trabalhadores urbanos e camponeses,

- 9% são do sexo feminino, mas as mulheres perfazem mais que a metade da população brasileira,

- 8,5% são negros, mas 51% dos brasileiros se auto-declaram negros e

- menos de 3% são jovens (com 16 a 35 anos), mas esses jovens representam 40% do eleitorado do Brasil.

Ou seja, fica claro que “Esse Congresso não nos representa!” e que eles não resolverão os problemas que o povo brasileiro.

Assim, precisamos mudar “as regras do jogo”, precisamos mudar o sistema político brasileiro.


E por que estamos numa sinuca de bico?

Você reparou que os detentores de mandatos, controlados pelo poder econômico, elaboraram, em 1988, as leis que nos regem atualmente?

Esse congresso ouvirá a voz das pessoas que foram às ruas em 2013? 

E dos milhões, que não saíram de casa, mas que também dizem não ser representados?

E esse congresso mudará leis que beneficiam apenas quem tem poder econômico hoje?

Protesto de 17/06 na Avenida Brigadeiro Faria Lima, em São Paulo.


Como participar?

Respondendo a uma única pergunta, em uma votação que ocorrerá na Semana da Pátria (1 a 7 de Setembro) de 2014.

Você é a favor de uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político?

Você precisa ver onde poderá votar presencialmente, na sua cidade.

Mas, se quiser ajudar mais, você pode fazer muito mais.

1.    Procure um Comitê Popular perto de você!
2.    Crie um Comitê Popular!
3.    Multiplique essa ideia!
4.    Contribua com o Plebiscito Popular!

Veja mais detalhes em “Como participar" - http://www.plebiscitoconstituinte.org.br/como-participar



Por que gosto da ideia de fazer um plebiscito?

Porque é uma tentativa pacífica de mudar uma situação terrível, em que

- a maioria da população não se sente representada por candidatos eleitos e

- que não tem direito a alimentação, saúde, educação decentes, que, de fato, propiciem o seu florescimento como cidadãos.



Quem vai colaborar e levar essa ideia no peito?

Somente nós, brasileiros comuns, profissionais de várias áreas. E algumas ONGs e sindicatos.

Ou será podemos esperar que quem se beneficia do atual sistema político queira mudar algo?

-

Mais informação:

Assembleia Nacional Constituinte de 1987 
http://pt.wikipedia.org/wiki/Assembleia_Nacional_Constituinte_de_1987

Plebiscito pela Constituinte
http://www.plebiscitoconstituinte.org.br/

Sinuca de bico
http://www.dicionarioinformal.com.br/sinuca%20de%20bico/

-




Actantes Debate - A Constituinte e as Redes - 20/08/2014 
http://www.youtube.com/watch?&v=RZRyRBXMk9k

Debate na Actantes, transmitido ao vivo em 20 ago 2014.
Com Sergio Amadeu da Silveira, Beá Tibiriçá, Gustavo Anitelli e
Ricardo Gebrim com colaboração de Fernando Anitelli e Fa Conti.

-

Texto baseado em

O que é o Plebiscito pela Constituinte?
http://www.plebiscitoconstituinte.org.br/o-que-%C3%A9-o-plebiscito-pela-constituinte

Como participar?
http://www.plebiscitoconstituinte.org.br/como-participar

Fotos retiradas da Wikipedia (pt).

-

image

Fátima Conti - fconti at gmail.com 
@faconti ( Identi.ca e Twitter ) - Fa Conti ( G+ e FB )

-

21/ago./2014
Um pouquim da net
Plebiscito pela Constituinte - Uma sinuca de bico?


O que é sinuca de bico?


É uma situação em que a pessoa se encontra sem saída.

É uma analogia ao jogo de sinuca, quando a bola da vez, a que deve ser encaçapada, está protegida atrás de outras bolas.

Assim, o jogador fica impedido de acertá-la no ângulo desejado.

Pior ainda, praticamente qualquer jogada que ele faça, encaçapará uma das bolas erradas.

Nesse momento, o jogador perderá o direito à tacada ou seu oponente receberá pontos.

Então, cadê a saída? 


O que é plebiscito?

Um plebiscito é uma consulta na qual as pessoas votam para aprovar ou não uma questão.

Uma regra importante: de acordo com as leis brasileiras apenas o congresso nacional pode convocar um plebiscito.
image

O Sol parece mover-se contra o fundo estrela como visto da Terra em órbita.

O que é plebiscito popular?

Desde o ano 2000, os movimentos sociais brasileiros começaram a organizar plebiscitos populares sobre vários temas, em que qualquer pessoa, independente do sexo, da idade ou da religião, pode trabalhar para que ele seja realizado, organizando grupos aonde quer que seja - em seus bairros, escolas, universidades, igrejas, sindicatos - para perguntar como a população se posiciona sobre um determinado tema e coletar votos.

Assim, um plebiscito popular permite que milhões de brasileiros expressem a sua vontade política e possam pressionar os poderes públicos a seguir a vontade da maioria do povo.

Protestos no Brasil em 2013-2014 

ABr17062013JFC2558.jpg
Manifestantes no teto do Congresso Nacional,
protestando contra gastos na Copa, corrupção
e por melhorias no transporte, na saúde e educação, em 17 de junho.


O que é uma constituinte?

É a realização de uma assembleia de deputados eleitos pelo povo para modificar a economia e a política do país e definir as regras e o funcionamento das instituições do Estado, tais como o congresso e o governo.

A atual constituição foi feita pela assembleia nacional constituinte de 1987, que foi instalada no congresso nacional, para elaborar uma constituição democrática para o Brasil, após 21 anos sob regime militar.

Na época prevaleceu a tese do congresso constituinte, ou seja, os deputados federais e senadores recém eleitos, em novembro de 1986, acumularam as funções de congressistas e de constituintes.


O que é uma constituinte exclusiva?

É uma Assembleia formada por representantes escolhidos com a finalidade de tratar de um assunto. Assim, é composta por não-políticos, principalmente por professores universitários, entendedores de política, cientistas políticos, professores de direito constitucional, que representam a Nação. Não deve precisar de partidos políticos e todos podem concorrer. O número dos candidatos eleitos deve ser rigorosamente igual ao número de parlamentares que hoje representam os diversos estados.

Suas decisões resultam em mudanças na constituição, nos pontos relacionados ao assunto tratado. Ou seja, se transformam na nova lei.

Finalmente, quando termina seu trabalho, a constituinte exclusiva é dissolvida.

A insatisfação social ocasionou a diversificação das causas dos manifestantes para além das tarifas de ônibus. Na foto, protesto ocorrido na cidade do Recife, em Pernambuco.


Porque fazer uma constituinte exclusiva e soberana do sistema político?

Recentemente os brasileiros foram às ruas, primeiramente contra o aumento das tarifas de transporte, mas, rapidamente, a luta por mais direitos sociais eclodiu: pedimos mais saúde, mais educação, mais democracia.

Os cartazes, faixas e rostos pintados também diziam que a política e os políticos atuais não representam os brasileiros.

Algumas conquistas foram conseguidas, principalmente com as revogações dos aumentos das tarifas dos transportes ou sua diminuição em algumas cidades, mas a maioria das reivindicações não foi atendida pelos poderes públicos.

E por que não?

Porque a estrutura do poder político no Brasil e suas “regras de funcionamento” não deixam que prossigamos as mudanças.

Toda a estrutura político-econômica é montada para que tudo fique como está. Ou seja, para que o dinheiro dos brasileiros continue a ser usado para manter os pobres mais pobres e sem oportunidades. E os ricos, mais ricos e com todas as possibilidades de terem seus projetos e planos aprovados, evidentemente usando dinheiro público.

Existe uma complexa teia usada nas campanhas eleitorais que praticamente garantem a vitória de determinados candidatos, que, após eleitos, vão defender apenas as empresas e não as pessoas.


E qual é a origem do dinheiro usado nas campanhas?

A cada dois anos temos eleições em que candidatos eleitos têm um gasto de campanha muito maior que os não eleitos, demonstrando que a riqueza da campanha decide quem vai ser eleito.

A maior parte do dinheiro vem de empresas privadas, que financiam os candidatos para depois obter vantagens nas decisões políticas.

Aqui é importante lembrar que
"Em política, não há doação. Empresário faz investimento."

 
É importante notar que ao examinarmos a composição do nosso Congresso Nacional, notamos que os deputados e senadores de fato não nos representam:

- mais de 70% dos congressistas são fazendeiros e empresários (da educação, da saúde, industriais, etc), mas a população é composta por maioria de trabalhadores urbanos e camponeses,

- 9% são do sexo feminino, mas as mulheres perfazem mais que a metade da população brasileira,

- 8,5% são negros, mas 51% dos brasileiros se auto-declaram negros e

- menos de 3% são jovens (com 16 a 35 anos), mas esses jovens representam 40% do eleitorado do Brasil.

Ou seja, fica claro que “Esse Congresso não nos representa!” e que eles não resolverão os problemas que o povo brasileiro.

Assim, precisamos mudar “as regras do jogo”, precisamos mudar o sistema político brasileiro.


E por que estamos numa sinuca de bico?

Você reparou que os detentores de mandatos, controlados pelo poder econômico, elaboraram, em 1988, as leis que nos regem atualmente?

Esse congresso ouvirá a voz das pessoas que foram às ruas em 2013? 

E dos milhões, que não saíram de casa, mas que também dizem não ser representados?

E esse congresso mudará leis que beneficiam apenas quem tem poder econômico hoje?

Protesto de 17/06 na Avenida Brigadeiro Faria Lima, em São Paulo.


Como participar?

Respondendo a uma única pergunta, em uma votação que ocorrerá na Semana da Pátria (1 a 7 de Setembro) de 2014.

Você é a favor de uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político?

Você precisa ver onde poderá votar presencialmente, na sua cidade.

Mas, se quiser ajudar mais, você pode fazer muito mais.

1.    Procure um Comitê Popular perto de você!
2.    Crie um Comitê Popular!
3.    Multiplique essa ideia!
4.    Contribua com o Plebiscito Popular!

Veja mais detalhes em “Como participar" - http://www.plebiscitoconstituinte.org.br/como-participar



Por que gosto da ideia de fazer um plebiscito?

Porque é uma tentativa pacífica de mudar uma situação terrível, em que

- a maioria da população não se sente representada por candidatos eleitos e

- que não tem direito a alimentação, saúde, educação decentes, que, de fato, propiciem o seu florescimento como cidadãos.



Quem vai colaborar e levar essa ideia no peito?

Somente nós, brasileiros comuns, profissionais de várias áreas. E algumas ONGs e sindicatos.

Ou será podemos esperar que quem se beneficia do atual sistema político queira mudar algo?

-

Mais informação:

Assembleia Nacional Constituinte de 1987 
http://pt.wikipedia.org/wiki/Assembleia_Nacional_Constituinte_de_1987

Plebiscito pela Constituinte
http://www.plebiscitoconstituinte.org.br/

Sinuca de bico
http://www.dicionarioinformal.com.br/sinuca%20de%20bico/

-




Actantes Debate - A Constituinte e as Redes - 20/08/2014 
http://www.youtube.com/watch?&v=RZRyRBXMk9k

Debate na Actantes, transmitido ao vivo em 20 ago 2014.
Com Sergio Amadeu da Silveira, Beá Tibiriçá, Gustavo Anitelli e
Ricardo Gebrim com colaboração de Fernando Anitelli e Fa Conti.

-

Texto baseado em

O que é o Plebiscito pela Constituinte?
http://www.plebiscitoconstituinte.org.br/o-que-%C3%A9-o-plebiscito-pela-constituinte

Como participar?
http://www.plebiscitoconstituinte.org.br/como-participar

Fotos retiradas da Wikipedia (pt).

-

image

Fátima Conti - fconti at gmail.com 
@faconti ( Identi.ca e Twitter ) - Fa Conti ( G+ e FB )

-

21/ago./2014